AML Consulting - Risk Money atinge 10 mil perfis na operação Lava Jato

Risk Money atinge 10 mil perfis na operação Lava Jato


O Risk Money Management System, considerado o maior bureau reputacional da América Latina e a mais poderosa base de dados do mercado em soluções de prevenção e combate à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo, acaba de atingir a impressionante marca de 10 mil perfis de pessoas físicas e jurídicas identificadas por envolvimento na Lava Jato, maior operação de combate à corrupção já realizada no Brasil.


Os perfis incluídos na base de dados do Risk Money são resultado das 37 fases já deflagradas pela Polícia Federal, desde março de 2014, que renderam, até o momento, mais de 150 mandados de prisão, cerca de 730 mandados de busca e apreensão e centenas de condenações criminais, com penas que ultrapassam 1.200 anos. 


Números que impressionam


Do total de 10 mil perfis já cadastrados, cerca de 2.600 envolvidos tiveram os seus nomes divulgados diretamente em uma ou mais das 23 mil fontes monitoradas pelos robôs de captura utilizados pelas equipes do Risk Money. Tratam-se de 864 empresas e 1.761 pessoas físicas, com destaque para as construtoras acusadas de envolvimento em esquemas de corrupção na Petrobras, além de ex-dirigentes da estatal, lobistas, ministros, ex-presidentes da República, parlamentares, doleiros e outros operadores financeiros.


O que impressiona, contudo, é que outros 7.600 envolvidos foram identificados pelas equipes do Risk Money a partir das buscas de participação de pessoas físicas em outras empresas, bem como da determinação de sócios e administradores das empresas diretamente envolvidas, até alcançar os chamados beneficiários finais, conforme determina a regulamentação vigente e em conformidade com as melhores práticas de mercado.


"Quando estamos lidando com investigações de corrupção e lavagem de dinheiro, não podemos nos limitar a considerar e examinar apenas aquilo que está evidente ou que consta dos autos das autoridades competentes pelas investigações e pela persecução penal, ou seja, temos que enxergar além, pois, se um investigado possui participação direta ou indireta em empresas, muito provavelmente essas empresas foram utilizadas para viabilizar a lavagem ou a ocultação desses recursos de origem ilícita", avalia Alexandre Botelho, consultor especialista em PLD-CFT da AML Consulting.


"Além disso, quando lidamos com o risco reputacional, não há que se falar em trânsito em julgado de processos criminais, ou seja, havendo qualquer suspeição quanto à participação de um cliente em esquemas criminosos, o risco deve ser considerado", complementa Botelho.

Veja também